Yu-gi-oh!

Yu-gi-oh!
dragão branco de olhos azuis, dragão luminoso de olhos azuis e dragão supremo de olhos azuis.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Imagem do cavaleiro de serpentário.

Provável cavaleiro de Serpentário.

Os golpes provavelmente serão iguais os da Shina, embora esse cavaleiro pareça uma montagem seria legal ver ele lutando e Seiya e os outro cavaleiros de Athena tendo mais uma hora na Saga do Santuário.
Esse cavaleiro lembra um pouco Shion de Aries.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

domingo, 24 de abril de 2011

sábado, 23 de abril de 2011

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Ben 10: Invasão Alienígena.


 Duração: 69 min.

Produção Direção: Alex Winter.

Produção:Alex Winter.

Roteiro: John Turman.

Elenco original: Ryan Kelley Galadriel Stineman Nathan Keyes Alyssa Diaz Barry Corbin Dee Bradley Baker Hebert Siguenza Vicki Lewis

Gênero: Aventura.

Idioma original: Inglês.

Sinopse.
No filme, o adolescente Ben Tennyson entra em conflito com a organização secreta dos Encanadores a fim de ajudar Elena, uma jovem misteriosa, a desvendar uma ameaça alienígena. Ben conta com a ajuda e confiança dos super poderosos Gwen e Kevin a fim de salvar o dia.

Elenco.
Ator Personagem Dublador brasileiro
Ryan Kelley Ben Tennyson Charles Emmanuel
Galadriel Stineman Gwen Tennyson Ana Lúcia Menezes
Nathan Keyes Kevin Levin Duda Espinoza
Alyssa Diaz Elena Validus Priscilla Amorim
Barry Corbin Max Tennyson Júlio Chaves
Herbert Siguenza Victor Validus Carlos Seidl
Dee Bradley Baker Calafrio Walmir Barbosa
Dee Bradley Baker Enormossauro Júlio Cezar
Alex Winter Nanomech Paulo Bernardo
Vicki Lewis Rainha Chip Miriam Ficher

Personagens do Filme.

  • Ben Tennyson 
  • Gwen Tennyson 
  • Kevin Levin 
  • Elena Validus 
  • Max Tennyson 
  • Victor Validus 
  • A Rainha 
  • Chips Alienígenas 
  • Eddie (Ajudante de Ben, Gwen e Kevin em Bellwood numa loja de peças de carro ele é mais um auxiliar de Kevin).
 Curiosidades. 
  • No filme Gwen beija Kevin no rosto. 
  • No filme Ben reencontra Elena, mas Gwen não confia nela, pois ela pensa que Elena traiu o Vô Max, mas Ben confia. 
  • O carro de Kevin foi destruído de vez, mas o novo meio de transporte do grupo é o novo carro de Ben. 
  • No filme, o carro de Kevin aparenta ser um Dodge Challenger 2007, mas na série sabemos que o carro de Kevin um carro é de 1973, que a série não revela o modelo, mas é o Dodge challenger 1970. 
  • No filme quando Ben vai se transformar ele bate no relógio, mas não aparece o flash de luz verde que aparece no desenho, seu corpo apenas muda de forma. 
  • Quando Ben e Elena estão cercados de zumbis, e Ben diz que não vai querer ajuda de uma gosma, não é que ele está falando de seu alienígena, ele esta reclamando do Omnitrix. 
  • Ben no filme, quando se transforma no Nanomech, dentro do Validus, não consegue se controlar direito por causa da Rainha que controla os chips. 
  • Ao contrário da série, Kevin faz rápidas absorções e não fica por muito tempo. 
  • Quando Ben tenta virar o Macaco-Aranha ele vira o Calafrio sendo que aparecia o holograma do Calafrio. 
  • Quando Ben vira Enormossauro na verdade aparece o holograma do Bala de Canhão. 
  • No filme Gwen e o Kevin estão com aquela roupa da 1º e 2º temporada quando o kevin da o carro para Ben, Kevin e Gwen já estão com a roupa da 3º temporada.
  • Quando Enormossauro estava atacando os chips, Elena ironicamente diz "Pegaram o Enormossauro", mas Ben não disse o nome do alien quando se transformou talvez ela tenha visto no canal de notícias das aparições alienígenas de Ben.
 Trailer.


Retirado do site: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ben_10:_Alien_Swarm

http://www.baixarfilmesdownload.net/baixar/filme-ben-10-invasao-alienigena-dublado-rmvb/download-gratis

terça-feira, 19 de abril de 2011

domingo, 17 de abril de 2011

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Anel Atlante.

História do Anel Atlante.

Sua história começa no Egito há 8000 anos, quando os atlantes deixaram sua imensa sabedoria a certos sacerdotes egípcios. Ele foi descoberto pelo Marques de Angrain, egiptólogo no vale dos reis, dentro do túmulo do sacerdote JUÁ. Entre os membros desta casta encontrava-se o Grão Sacerdote Juá, cuja tumba foi descoberta no Vale dos Reis há uns 60 anos, e tanto o corpo do sacerdote como o de sua esposa encontravam-se perfeitamente conservados, cerca de 5.000 anos após a sua morte. Juá preparou as boas vindas ao descobridor do seu túmulo, deixando como presente, um anel esculpido em Grês, pelos Atlantes, de quem os Egípcios eram herdeiros. Um anel cujas três retas, seis pontos e dois triângulos isósceles atendem às exigências de alguma formula esotérica e possui poderes e virtudes. Mais tarde HOWARD CARTER foi o único a escapar com vida da maldição de TUTANCAMON inscrita na entrada do seu túmulo: “A morte tocará com suas asas aquele que perturbar o sono do faraó". Quando todos os outros cientistas que penetraram no túmulo morreram de doenças estranhas, então percebeu-se que a única coisa que diferenciava CARTER das outras pessoas era que ele tinha o famoso ANEL ATLANTE, o que permitiu de estar ainda com vida.
Desde então, inúmeros pesquisadores se interessaram pelo ANEL. Eis algumas conclusões chegadas: a eficácia do anel se deve as ondas de formas chamadas de "LOUKSOR" que ele emite cujos agentes invisíveis catalisam ENERGIA CÓSMICA. Cresceu o interesse de todos pelo uso do Anel Atlante quando Roger de Lafforest confirmou em seu famoso livro Les maisons de Tuent, que Howard Carter, o principal arqueólogo da expedição que descobriu o tumulo de Tutancâmon, não se preocupou com as ameaças e a maldição na entrada da tumba: "A Morte Tocará com suas asas quem perturbar o sono do Faraó"
Carter ficou durante anos catalogando o maior tesouro arqueológico até hoje encontrado, enquanto viu dezoito pessoas que participaram com ele da abertura do tumulo, morrerem misteriosamente. Carter estava despreocupado, pois segundo depoimentos que prestou a um diplomata belga, no Cairo, julgava-se protegido contra quaisquer malefícios, porque usava a poderosíssima de defesa a que se refere o famoso escritor e jornalista Paulo Brunton, e que André de Belizal afirma ser o anel atlante.



Sobre o uso do Anel Atlante.

É conveniente de quando em quando, deixar o anel por algumas horas ao sol, de preferência ao meio dia, num recipiente de cristal, ou ainda durante a noite em um copo com água e sal grosso.
Use o anel sempre, mas principalmente em ocasiões importantes de negócios, contatos pessoais, conferências, etc. Use-o durante suas viagens, pois se tem
verificado que o anel protege de forma espetacular contra acidentes, ao minimizar os riscos de forma curiosa e inexplicável. Tem se observado o aguçamento da telepatia e outras faculdades parapsicológicas, durante o sono. Se sentir excesso de energia à noite, use somente durante o dia. Se por algum motivo particular não quiser usar o anel no dedo, use-o no bolso ou em contato com a pele, use o anel de preferência no dedo anular. Alguns sentem mais resultados quando usam o anel na mão direita, para resolver problemas, e na mão esquerda para receber benefícios. Em algumas pessoas verifica-se a mudança da cor do anel para preto, que às vezes desaparece em algumas semanas.
É conveniente usar sempre um polidor líquido para prata, ou as chamadas flanelas mágicas, que possuem uma química para limpeza de prata, isto para que o anel fique sempre polido, brilhante e bonito.

OS EFEITOS:

REVITALIZANTES: O anel ajuda a harmonizar as forças cósmicas e telúricas negativas que o corpo poderia receber (lugares energeticamente desarmonizados).

PROTEÇÃO: Ele lhe protege: dos lugares onde encontra se ondas nocivas, de certas magias negras e de acidentes fatais de carro.

CURA: Ele ajuda a curar restabelecendo as funções perturbadas do organismo.

PARANORMALIDADE: Ele desenvolve certas faculdades paranormais como: INTUIÇÃO aumenta de 50% TELEPATIA aumenta de 50%.

SOBRE O USO DO ANEL.

O anel é um bem pessoal que se impregna das radiações pessoais (como um cristal), não deve, portanto, ser emprestado, ou ofertado depois de usado.
Uma vez pôr semana, isto é muito importante, deixá-lo num copo de água salgada (sal grosso) durante uma noite.
Se não quiser usar o anel no dedo, use-o no bolso, ou uso-o como pingente.
E conveniente deixarem-no sempre brilhante e bonito, limpá-lo com um produto de seu gosto, evite usar desodorante a base de enxofre.

SIGNIFICADO DOS DEDOS:

POLEGAR: Age sobre os maxilares, a linfa, orelhas, faringe e sistema respiratório.

INDICATOR: Age sobre o sistema nervoso central, vitalidade vontade e ação (Eu consciente). Intestino grosso e toda a coluna.

MÉDIO: Age sobre circulação, alergias, crânio e pés (dedo da vida material).

ANULAR: Age sobre o sistema urinário, digestivo, sistema nervoso periférico, triplo aquecedor hipófise e tiróide, (sabedoria, EU SUPERIOR).

MÍNIMO: Age sobre o coração, intestino delgado e emoções. (eu subconsciente).

Retirado do site: http://cosmopaganismo.web.simplesnet.pt/HTML/4157/index.html

http://www.viacapella.com.br/atlante.asp

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Olho Grego.


Olho do Oriente (olho grego ou turco) remonta à antiguidade, onde os Turcos acreditavam que um mau olhado podia trazer má sorte e para isso nada melhor que um talismã para se proteger. Este olho é chamado de Nazar Boncugu e ele é aditivado à peça. Protege contra o mal e atrai boa sorte. Caso o olho se quebre, ele deve ser jogado fora e substituído por um novo. O Olho Grego é um antigo talismã contra a inveja e o mal olhado. O olho está simbolicamente ligado ao Sol, que é a força que afasta o mal.
O olho grego, ou olho turco, tem sua origem mais conhecida nos países árabes, e migrou para os povos que tinham contato com eles, como Grécia, norte da África, etc. Ele está sempre ligado a proteção, a afastar a negatividade, e a "absorver" o mal olhado para ele, impedindo que atinja a pessoa. O amuleto turco que protege contra mal olhado e olho gordo é muito comum na Turquia. Você pode encontrá-lo em toda a Turquia: as mulheres o usam em pulseiras, brincos, colares; os turcos dependuram o amuleto na casa, escritório e também no carro e os bebês também o usam. O amuleto deve ser azul e ter a forma de um olho. Há diversos tamanhos, mas a forma é geralmente arredondada. O nome turco do amuleto que protege contra o mal olhado e olho gordo é nazar boncuk. Mas o que esta atrás desta superstição turca? Era uma vez. Uma rocha no mar que nem com a força de cem homens e muita dinamite podia ser removida ou rachada. Havia também um homem nesta cidade que era conhecido por ter muito "olho gordo" (Nazar). Depois de muitos esforços, trouxeram o homem à rocha. O homem olhou a rocha e disse "Meu Deus! Que rocha enorme!" No instante que ele disse isto, houve um grande barulho e a rocha rachou em dois pedaços. A força do mal olhado (nazar) é um elemento extensamente aceito e temido na vida diária do povo turco.
Outra história conta que uma mulher dá a luz a uma criança saudável com bochechas rosadas e todos os vizinhos vão visitar o bebê. Fazem muitos elogios ao bebê, comentando especialmente como ele é saudável. Depois de algumas semanas o bebê fica doente. Nenhuma explicação pode ser dada para a doença do bebê. Isso é descrito como "Nazar". Os elogios feitos a uma parte específica do corpo pode resultar em "Nazar". Por isso as mães turcas colocam um amuleto de olho gordo nas roupas das crianças. Se este amuleto de mal olhado é encontrado rachado, significa que funcionou e protegeu a criança e imediatamente um novo amuleto é colocado para substituí-lo.
Assim a idéia do amuleto é proteger sua casa, seu escritório ou as pessoas que você gosta. O amuleto de nazar pode ser visto nos táxis, fixados à roupa dos bebês, nos edifícios, nas entradas das casas de kebap, e até nos web sites. Se você quiser usá-lo em sua casa você deve pendurá-lo na entrada da casa, assim toda visita poderá vê-lo. Se você quiser ter um com você, o mais comum é ter um dentro da sua bolsa ou carteira. Você pode também dependurar um amuleto com um alfinete na sua roupa ou usar colares, pulseiras, brincos em diversos formatos.
Os turcos acreditam que com o amuleto do olho gordo você estará protegido e toda a energia ruim estará dirigida ao amuleto e não atingirá você. Nenhuma energia ruim lhe atingirá desde que você seja protegido com amuleto de nazar boncuk. Você tem um bebê recém nascido? Comprou um carro novo? Construiu ou mudou-se para um edifício ou escritório novo? Está preocupado com o que seus "amigos" pensam da sua boa posição? A proteção do nazar é usada para qualquer coisa nova ou que possa atrair qualquer elogio. Os Turcos pensam que qualquer elogio pode inclui conscientemente ou
inconscientemente uma inveja e ressentimento. O amuleto do mal olhado reflete o mal olhado na pessoa que o enviou. O amuleto se assemelha a um olho e a sua cor azul típica é um fator em proteger o usuário.

Retirado do site: http://www.oarquivo.com.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=176:olho-grego&catid=80:simbolos-e-objetos&Itemid=437

segunda-feira, 11 de abril de 2011

sábado, 9 de abril de 2011

quinta-feira, 7 de abril de 2011

terça-feira, 5 de abril de 2011

domingo, 3 de abril de 2011

Cientistas dizem ter encontrado 'monstro do mar' em deserto no Peru.



Pesquisadores descobriram o fóssil de uma baleia antiga com enormes e assustadores dentes.
Na revista Nature, os cientistas chamaram a criatura, que viveu há 12 milhões de anos, de "Leviatã".
baleia cachalote
Acredita-se que a baleia tinha mais de 17 metros de comprimento e que pode ter travado intensas batalhas com outras criaturas gigantes que viviam no mar durante o período.
A Leviatã era bastante parecida com a baleia cachalote moderna em termos de tamanho e aparência.
Mas é aí que termina a semelhança. Enquanto a baleia cachalote é um animal relativamente passivo, que engole lulas do fundo do mar, a Leviatã era uma agressiva predadora.

"Monstro do mar".

De acordo com Christian de Muizon, diretor do Museu de História Natural de Paris, a Leviatã poderia ter caçado e comido grandes criaturas marinhas como golfinhos, focas e até mesmo outras baleias.
"Era um tipo de monstro do mar", disse. "E é interessante notar que ao mesmo tempo, nas mesmas águas, havia outro monstro, que era um tubarão gigante de cerca de 15 metros de comprimento. É possível que eles tenham lutado".
Os pesquisadores especulam que a Leviatã podia caçar presas grandes, de até oito metros. A baleia capturava outros animais com sua enorme mandíbula e os destruía rapidamente com seus grandes dentes.
Um fóssil do crânio da baleia, de três metros de comprimento, foi descoberto por pesquisadores no sul do Peru, em 2008. Um pupilo de Muizon, Olivier Lambert, estava no grupo.
"Era o último dia da nossa viagem de campo quando um dos nossos colegas veio e disse que achava ter encontrado algo muito interessante", disse Lambert.
"Nós imediatamente vimos que era uma baleia muito grande e quando olhamos de perto vimos que era uma baleia cachalote gigante com dentes gigantes".

Dentes.

Os dentes eram mais do que duas vezes maiores em comprimento e diâmetro do que os
que encontrados em baleias cachalote modernas e estavam localizados na arcada inferior e também na superior.
As baleias cachalote modernas têm dentes apenas em sua arcada inferior.
A descoberta do crânio significa que a Leviathan não é apenas um mito.
Os pesquisadores não sabem as razões que levaram à extinção do Leviatã. Eles especulam que possíveis mudanças ambientais podem ter obrigado a criatura a mudar seus hábitos alimentares.
Isso pode ter levado ao surgimento das baleias cachalote, muito mais gentis, com o nicho carnívoro sendo preenchido por baleias mais agressivas como as orcas quando as condições voltaram a mudar.
Os autores do artigo publicado na Nature são todos especialistas em baleias e fãs do clássico da literatura americana Moby Dick, que relata a história de uma feroz baleia cachalote branca.
Eles batizaram a criatura com o nome científico de Leviathan melvillei, em homenagem ao autor do livro.
Livyatan melvillei é uma espécie extinta de cetáceo odontoceto da superfamília Physeteroidea. Os restos fósseis, compreendendo 75% do crânio, grandes fragmentos da mandíbula e maxila e vários dentes, foram descobertos no deserto de Pisco-Ica ao sul do Peru em 2008, em rochas do período Mioceno de 12-13 milhões de anos. Media entre 13 e 18 metros de comprimento, contando ainda com dentes que chegavam a medir até 36 centímetros. O gênero Leviathan proposto por Lambert e colaboradores possui um homônimo descrito por Kock em 1841, e emendando pelo mesmo autor em 1843, sendo considerado inválido pelas regras do código internacional de nomenclatura zoológica. Lambert e colaboradores retificaram a descrição descrevendo um novo nome para o gênero, Livyatan, derivado da pronúncia em língua hebraica.

Classificação científica:

Reino: Animalia;

Filo: Chordata;

Classe: Mammalia;

Subclasse: Eutheria;

Ordem: Cetacea;

Subordem: Odontoceti;

Superfamília: Physeteroidea;
Género: Livyatan Lambert et al., 2010.

Video.



Retirado do site: http://noticias.uol.com.br/ultnot/bichos/ultnot/bbc/2010/07/01/cientistas-dizem-ter-encontrado-monstro-do-mar-em-deserto-no-peru.jhtm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Livyatan_melvillei

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Leviatã.


O Leviatã é uma criatura, geralmente de grandes proporções, bastante comum no imaginário dos navegantes europeus da Idade Moderna. Há referências, contudo, ao longo de toda a história, sendo um caso recente o do Monstro de Lago Ness.

Perante a igreja.

O Livro de Jó, capítulos 40 e 41, apontam a imagem mais impressionante do Leviatã, descrevendo-o como o maior (ou o mais poderoso) dos monstros aquáticos. No diálogo entre Deus e Jó, o primeiro procede a uma série de indagações que revelam as características do monstro, tais como "ninguém é bastante ousado para provocá-lo; quem o resistiria face a face? Quem pôde afrontá-lo e sair com vida debaixo de toda a extensão do céu?... Quem lhe abriu os dois batentes da goela, em que seus dentes fazem reinar o terror?... Quando se levanta, tremem as ondas do mar, as vagas do mar se afastam. Se uma espada o toca, ela não resiste nem a lança, nem a azagaia, nem o dardo. O ferro para ele é palha, o bronze pau podre" (Bíblia Sagrada, 1957: 656). Ao lado do Leviatã, no capítulo 40 do livro de Jó, aparece o Behemoth, vigoroso e musculoso animal terrestre, "sua força reside nos rins e seu vigor no músculo do ventre. Levanta sua cauda como (um ramo) de cedro, os nervos de suas coxas são entrelaçados; seus ossos são tubos de bronze, sua estrutura é feita de barras de ferro" (Bíblia Sagrada, 1957: 654). Na bíblia também fala que Deus enviara Behemoth para matar Leviatã. Eles terão uma grande batalha, onde os dois morreriam mais Behemoth sairia vitorioso por cumprir sua missão.
A origem histórico-mitológica de tais animais descritos na Bíblia é uma questão um tanto obscura. Ambos os animais têm sido associados a algumas sagas, o leviatã talvez esteja associado ao "Tiamat", uma divindade da saga da Babilônia. O que interessa, no entanto, é não se ater às diferentes opiniões a respeito desses animais que aparecem na Bíblia Hebréia, uma vez que os historiadores e teólogos da Bíblia não os relacionam ao mito político ao qual Hobbes se refere (Schmitt, 1938: 6).
Não obstante diferentes interpretações, o Leviatã aparece na Bíblia sob a forma do maior dos animais aquáticos, como um crocodilo ou então na forma de um enorme peixe, uma baleia. O behemoth, como animal terrestre representado sob a forma de um hipopótamo.

Na União do céu e do inferno, William Blake escreveu:

"Debaixo de nós nada mais se via senão uma tempestade negra, até que, olhando para oriente, entre as nuvens e as vagas, divisamos uma cascata de sangue misturado com fogo, e próximo de nós emergiu e afundou-se de novo o vulto escamoso de uma serpente volumosa. Por fim, a três graus de distância, na direção do oriente, apareceu sobre as ondas uma crista incendiada: lentamente elevou-se como um recife de ouro, até avistarmos dois globos de fogo carmesim, dos quais o mar se escapa em nuvens de fumo. Vimos então que se tratava da cabeça do Leviatã a sua fronte, tal como a do tigre, era sulcada por listras de verde e púrpura. Em breve vimos à boca e as guelras pendendo sobre a espuma enfurecida, tingindo o negro abismo com raios de sangue, avançando para nós com toda a fúria de uma existência espiritual."

Jó 41:18-21

18 Cada um dos seus espirros faz resplandecer a luz, e os seus olhos são como as pálpebras da alva. 19 Da sua boca saem tochas; faíscas de fogo saltam dela. 20 Das suas narinas procedem à fumaça, como de uma panela fervente, ou de uma grande caldeira. 21 O seu hálito faz incendiar os carvões; e da sua boca sai chama.
O Leviatã é um Dragão como se segue nos versos acima relatados.

Historia. 

Uma criatura marinha monstruosa criada por Deus no quinto dia da Criação, tão grande e tão assustadora que, quando se levanta, tremem as ondas do mar e as vagas do mar se afastam; sua boca, quando aberta, mostra dentes terríveis, e o corpo é coberto por escamas sobrepostas impenetráveis ("nem o ar lá penetra: nada ultrapassa aquela barreira"); os olhos brilham como faíscas e sai-lhe fogo da boca; sua força está concentrada no pescoço; e o coração é duro como uma rocha. Assim é o Leviatã, monstro marinho que povoa o imaginário humano, desde que ele foi descrito na Bíblia Sagrada (livro de Jó, no Antigo Testamento) e na Tanach, a Bíblia judaica. Segundo referências do Antigo Testamento, Deus teria criado um casal dessas criaturas, mas ao perceber que eles poderiam destruir o mundo caso viessem a se reproduzir, acabou matando a fêmea e deixando somente o macho. Enfurecido e solitário, o macho chamado leviatã passou a descontar sua fúria em marinheiros desavisados que, em vão, tentavam matá-lo. Histórias envolvendo o monstro acabaram surgindo. Nas lendas judaicas, o Leviatã é uma serpente marinha tão grande que é capaz de dar a volta ao mundo e colocar o rabo na própria boca. Criaturas semelhantes aparecem no bestiário de outros povos. Na mitologia grega, o leviatã é o ouroboros, serpente ou dragão que come o próprio rabo e representa o eterno retorno. Na mitologia nórdica, ele é a Serpente de Midgard, ou Serpente do Mundo, filha do perverso deus Loki que sucumbiu ao martelo de Thor na batalha de Ragnarök, o Crepúsculo dos Deuses. Na literatura cristã, leviatã é um dos guardiões dos portões do inferno, por isso sua imagem está associada à de Satã.
Existe também a versão descrita pelo escritor Clive Barker, no livro Hellbound Heart, que posteriormente virou filme dirigido por ele mesmo. Leviatã seria o deus do Caos e dos Labirintos, representado por um gigantesco prisma e rodeado por labirintos e passagens no centro do Inferno. Ele comanda criaturas chamadas de Cenobitas, que através de um cubo mágico atravessam para nossa dimensão atrás de vitimas que os invocam. Leviatã é o monstro que ataca a princesa Andrômeda na lenda grega de Perseu.

Retirado do site: http://pt.wikipedia.org/wiki/Leviat%C3%A3_%28monstro%29

http://forgetthefear.blogspot.com/2009/06/leviata-monstro.html

http://www.portaldascuriosidades.com/forum/index.php?topic=79161.0;wap2

Related Posts with Thumbnails