Yu-gi-oh!

Yu-gi-oh!
dragão branco de olhos azuis, dragão luminoso de olhos azuis e dragão supremo de olhos azuis.

sábado, 31 de agosto de 2019

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Ninja.




Um ninja (忍者) ou Shinobi (忍び) era um agente secreto do Japão feudal especializado em artes de guerra não ortodoxas. Ninjas foram os criadores de uma arte marcial japonesa conhecida como ninjutsu. As funções do ninja incluíam espionagem, sabotagem, infiltração e assassinato assim
como combate aberto em determinadas situações. Os ninjas, utilizando métodos secretos de fazer a guerra, foram contrastados com os samurais, que havia regras estritas sobre a honra e combate. As roupas escuras, para não se fazer notar, fizeram os ninjas ficarem conhecidos como "guerreiros das
sombras".
Os ninjas antigos desenvolveram suas técnicas por necessidade, devido a grande opressão existente no lugar onde viviam, especialmente na China e no Japão. As atividades dos ninjas antigos datam do período Heian na China (794-1185) até a era Kamakura no Japão (1192-1333). Essa época foi o apogeu do ninjutsu antigo. Essa arte se baseava na mistura de truques mágicos e suas capacidades técnicas tendo como origem os monastérios do Tibet,
desenvolvendo-se por completo nos Templos Shaolin na China.
Mais tarde no Japão a arte se desenvolveu plenamente. Lá foram criadas técnicas incríveis que foram documentadas nos manuscritos chamados de Torimaki. Muitos desses registros não foram decifrados até hoje porque usavam códigos secretos para não caírem em mãos inimigas. Apenas as
famílias que conservaram até os dias atuais tem acesso aos torimaki e sabem sua tradução.
A natureza misteriosa do ninja capturou a imaginação popular no Japão, e depois o resto do mundo. Ninjas são figuras proeminentes no folclore e lendas, e como resultado muitas vezes é difícil separar fato histórico e mito. Algumas habilidades lendárias incluem invisibilidade, andar sobre a água, e
controle sobre os elementos naturais. O ninja também é prevalente em cultura popular, aparecendo em várias formas de mídias de entretenimento.



História.



Não se sabe onde termina a história e começa a lenda, pois, por ser uma técnica de espiões, o ninjutsu era secreto e transmitido apenas oralmente.

A origem do ninja é obscura e difícil de determinar, mas presume-se que ocorreu por volta do século XIV. No entanto, os antecedentes dos ninjas podem ter existido tão cedo quanto o Heian e no início da era Kamakura. Existem poucos registros escritos para detalhar as atividades do ninja. A palavra jounin não existia para descrever um ninja como agente até o século XV, e é improvável que os espiões e mercenários antes dessa época fossem vistos como um grupo especializado. Na agitação do período Sengoku (séculos XV - XVII), mercenários e espiões contratados surgiram das regiões de Iga e Koga no Japão, e é a partir desses clãs que muito do conhecimento posterior sobre o ninja é inferido. Após a unificação do Japão sob o xogunato Tokugawa, os ninjas caíram novamente no esquecimento. No entanto, nos séculos XVII e XVIII, manuais como o Bansenshukai (1676), muitas vezes centrados em torno da filosofia militar da China, apareceram em número significativo. Estes escritos revelaram uma variedade de filosofias, crenças religiosas, a sua aplicação na guerra, bem como as técnicas de espionagem que formam a base da arte ninja. As palavras Ninjutsu e Ninjitsu mais tarde viriam a descrever uma grande variedade de práticas relacionadas com os ninjas.

Acredita-se que tenha surgido no reinado do imperador Shotoku (718-770) e se difundido por todo o Japão durante o período conhecido como Sengoku (1467-1568). O país passava por diversas guerras civis e as técnicas ninja começaram a ser adotadas por famílias que habitavam as montanhas no centro da ilha de Honshu, a maior do Japão. Quando necessário, as famílias se uniam para combater inimigos comuns.

Os ninjas praticamente desapareceram durante o período Edo (1603 a 1868), quando acabaram as guerras internas. Nessa época, as famílias ninja foram repudiadas pela sociedade feudal vigente, submetidas a taxas de impostos exorbitantes e à perseguição. Apesar disso, o ninjutsu continuou a existir, mais secreto ainda. Os principais inimigos dos ninjas eram os samurais, que ajudavam a manter o poder dos senhores feudais.

No período seguinte da história do Japão, iniciado com o império de Meiji, em 1868, tanto os samurais quanto os ninjas foram proibidos de usar armas. O objetivo de Meiji era integrar o país à era moderna e ao resto do mundo. No início do século 20, porém, os ninjas voltaram a ser usados como espiões, durante a ocupação da Manchúria, na China, pelo Japão. Durante a II Guerra Mundial, o Japão ensinou técnicas ninjas a espiões num centro de treinamento secreto.


Estilo de luta dos ninjas.


Muitas das técnicas dos ninjas se baseiam na natureza, nos animais, no corpo humano e sobretudo na astúcia do modo de atacar dos animais. Por isso suas técnicas se desenvolveram nas montanhas, nos campos, lagos, rios, mares, etc... hoje em dia suas técnicas continuam sendo ensinadas da mesma maneira diferentemente das outras artes marciais. As práticas no campo aberto se realizam com o objetivo de tornar os ninjas mais rápidos, mais fortes e mais audazes.

Os ninjas consideram que a natureza é o melhor meio para o treinamento, melhor que um dojo. Os ninjas antigos conviviam com a natureza ao ponto de depender dela e por isso consideravam o ninjutsu uma forma de vida e não uma arte marcial. Muitos podem pensar que seus treinamentos não servem para a vida cotidiana hoje em dia e só servem para enfrentar uma guerra. Isso é totalmente contrário ao pensamento ninja que treinava e ainda treina para ajudar as pessoas e para ser melhor como pessoa tendo valores em uma sociedade perdida e caótica como a que vivemos atualmente.

Esses incríveis mestres na arte de camuflagem desenvolveram técnicas e armas para se infiltrarem em qualquer lugar. Suas técnicas de espionagem se baseiam no antigo livro chinês “A arte da Guerra” de Sun Tzu.

Sua resistência ao frio e a dor era prodigiosa. Sua coragem era superior ao do samurai. O ninja antigo, sem dúvida não considerava desonroso fugir, porque assim teria uma segunda oportunidade para atacar. O que importava era cumprir a sua missão. Se era capturado preferia se suicidar, não porque não dava valor a vida, mas porque sabia que seria submetido a torturas das mais cruéis para delatar suas famílias. Por isso não duvidavam em se suicidar, pela honra da sobrevivência de sua espécie.


O Ninjutsu remonta há mais de 900 anos, em um contexto histórico em que os Samurais, classe de guerreiros, dominavam o Japão. Nasceu no Japão feudal, quando monges Tibetanos se espalharam por vários países na Ásia, um deles a China, onde os monges, no fim da dinastia Ming início da dinastia Chin (Manchú, por conta da invasão Manchú) dedicaram-se ao terrorismo, espionagem e resistência.

Durante a dinastia Chin os templos foram destruídos e os monges se refugiaram em outros países, um deles o japão, onde a Arte Marcial que praticavam deu origem a várias outras artes, o Ninjutsu foi uma destas, monges residentes nas montanhas das regiões de Iga e Koga tiveram contatos com Ronins que lá constituíram família.

Da mistura do Kempo Chinês e das Artes Samurais, nasceu o que hoje conhece como Ninja, que seguiam um código de conduta diferente dos Samurais.

Com o passar dos anos os ninjas passaram a trabalhar como mercenários e posteriormente o governo japonês passou a usá-los como espiões e assim foi até a 2ª Guerra Mundial.

Suiton é o "uso da água". O guerreiro pode ficar várias horas submerso, respirando por finos tubos de bambu, ou distrair o inimigo com o ruído da água.

Doton, ou "uso do solo e das pedras". Formações rochosas ou buracos no solo são usados para se esconder.

Kinton é o "uso do metal", para ofuscar a visão do inimigo refletindo luzes brilhantes ou distraí-lo com ruídos.

Katon, ou "uso do fogo". A atenção do oponente é desviada por meio de truques pirotécnicos ou fumaça de pólvora.

O combate corpo a corpo é chamado pelos ninjas de jutaijutsu. Na hora de atacar, procuram sempre desarmar o inimigo. Durante a luta, o objetivo é acertar os pontos vitais ou arrebentar os ossos dos adversários.


Arsenal.


A espada.


Era a arma mais valorizada no combate. O fato de as tecnicas ninjas serem desconhecidas pelos samurais, tambem lhes dava vantagem.


Kusari-gama.


Originalmente desenvolvida por fazendeiros, tanto para arar a terra quanto para defesa pessoal. Foi usada num primeiro momento pelos samurais e, depois, adotada pelos ninjas.


Kusari-fundo.


Correntes usadas para deter a espada do oponente e tambem para estrangula-lo.


Shuko.


Munhequeira com garras afiadas para deter golpes de espada, mas tambem uteis em escaladas.


Kyoketsu-shogei.


Corrente com punhal e gancho nas extremidades, para desarmar ou atingir os adversarios a distancia.


Shuriken.


Estrelas de metal pontiagudas, lancadas a distancia, para matar atingindo os orgaos vitais.


Na Cultura Popular.


A imagem do ninja entrou na cultura popular no periodo Edo, quando contos e brincadeiras sobre ninjas foram concebidos. Historias sobre os ninjas sao geralmente baseados em figuras historicas. Por exemplo, muitos contos similares existem cerca de um daimyo desafiando um ninja para provar o seu valor, geralmente por roubar seu travesseiro ou arma enquanto ele dormia.Os romances que foram escritos sobre o ninja, como Jiraiya Gōketsu Monogatari, que tambem foi feita em um jogo kabuki. Figuras de ficcao, como Sarutobi Sasuke acabaria por abrir caminho em quadrinhos e televisao, onde eles tem vindo a desfrutar de um heroi cultural estado fora de suas midias originais.

O Ninja aparece em muitas formas de midia popular japonesas e ocidentais, incluindo livros (Kōga Ninpōchō), televisao (Jiraya, Ninja Warrior, Kakuranger e Hurricaneger), filmes (Ninja 3 – A Dominacao, Ninja Assassin), satira (Real Ultimate Power: The Official Ninja Book) Video games (Tenchu Shinobi), anime (Naruto), manga (Basilisk) e quadrinhos ocidentais (Teenage Mutant Ninjas Turtles e G.I. Joe: A Real American Hero). As descricoes variam de realista ao fantástico exagerado, tanto fundamentalmente e esteticamente, e muitas vezes retratam o ninja como ficticio, por vezes, personagens incrivelmente extravagantes para o humor e entretenimento.




domingo, 25 de agosto de 2019

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

sábado, 17 de agosto de 2019

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Até anime faz cosplay também 13.

Eustacio e Coragem como Finn e Jack

Futurama como a Familia Addams.

Gardevoir como Elsa e Anna

Hero e Baymax como Luke e C3PO

Mario como Pikachu

Personagens de Apenas um show como personagens de Star Wars

Personagens do Clarêncio. O Otimista como personagens do Over the Garden Wall

Sailor Venus como Medabots

terça-feira, 13 de agosto de 2019

domingo, 11 de agosto de 2019

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Gifs diversos 4.

Genos

Gloop

Goku vs Uub

Gomamon

Greymon

Morrigan Aensland

Omegamon

Tailmon

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Esfinge.


A Esfinge ou Sphinx é uma criatura da tanto da mitologia egípcia quanto da grega.
Esfinge é uma imagem icónica de um leão estendido com a cabeça de um falcão ou de
uma pessoa, presente tanto na mitologia grega, quanto na arquitetura egípcia. São
criaturas mistificadas como traiçoeiras e impiedosas.
Na arte decorativa europeia, a esfinge teve um grande ressurgimento durante o
Renascimento. Mais tarde, as esfinges, que seguiam muito o conceito original egípcio,
foram incorporadas em muitas outras culturas, embora muitas vezes interpretadas de
forma bastante equivocada, devido a problemas nas traduções dos escritos originais, e da
evolução do conceito em relação a outras tradições culturais. Geralmente, o papel das
esfinges está associado a grandes estruturas arquitetónicas, como tumbas reais e
templos religiosos. A esfinge mais antiga conhecida foi encontrada perto de Gobekli Tepe,
em Nevali Cori, Turquia, datada de 9.500 a.C.


Esfinge egípcia.


A mitologia egípcia retrata a esfinge como uma criatura mística e ancestral, geralmente
representada com um leão estendido, com uma cabeça humana, geralmente a cabeça de
um faraó. Assim como as pirâmides, também simbolizavam uma demonstração extrema
de poder, com associações solares sagradas. Eram consideradas guardiãs, representada
nas formas com cabeça de pessoa ou falcão.
As esfinges são descritas em uma destas duas formas:
Androsfinge (Sphinco Andro)- corpo de leão com cabeça de pessoa;
Hierocosfinge (Sphinco Oedipus Rex)- corpo de leão com cabeça de falcão.

A maior e mais famosa é Sesheps, a esfinge de Gizé, que fica no planalto de Gizé no
banco oeste do rio Nilo, com um pequeno templo entre suas patas. O rosto daquela
esfinge é considerada como a cabeça do faraó Quéfren ou possivelmente a de seu irmão,
o faraó Djedefré, que dataria sua construção da quarta dinastia (2723 a.C.–2563 a.C.).
Contudo, há algumas teorias alternativas que re datam a esfinge ao pré antigo império.
Outras esfinges egípcias famosas incluem a esfinge de alabastro de Mênfis, hoje
localizada dentro do museu ao ar livre naquele local; e as esfinges com cabeça de ovelha
representando o deus Amon, em Tebas, de que havia originalmente algumas novecentas.
Diferente da esfinge grega, a egípcia é geralmente apresentada com um ser humano.
Além disso, a esfinge egípcia era vista como benevolente, em contraste com sua versão
malévola grega, sendo considerada como uma espécie de guardiã, muitas vezes
representadas em enormes estátuas colocadas nas entradas dos templos.


Esfinge grega.


Havia uma única esfinge na mitologia grega, um demônio exclusivo de destruição e má
sorte, de acordo com Hesíodo uma filha da Quimera ou, de acordo com outros, de Tifão e
de Equidna . Ela era representada em pintura de vaso e baixos-relevos mais
frequentemente assentada ereta de preferência do que estendida, como um leão alado
com uma cabeça de mulher; ou ela foi uma mulher com as patas garras e peitos de um
leão, uma cauda de serpente e asas de águia. Hera ou Ares mandaram a esfinge de sua
casa na Etiópia para Tebas e, em Édipo Rei de Sófocles, pergunta a todos que passam o
quebra-cabeça mais famoso da história, conhecido como o enigma da esfinge, decifra-me
ou devoro-te:

 “Que criatura pela manhã tem quatro pés, ao meio-dia tem dois, e à tarde tem três?” Ela
estrangulava qualquer pessoa que não soube-se responder, daí a origem do nome
esfinge, que deriva do grego sphingo, querendo dizer estrangular. Aqueles que não
podem responder seu enigma, sofrem um destino bem típico dos contos e histórias
mitológicas, sendo mortos e totalmente devorados por esses monstros vorazes.
Édipo resolveu o quebra-cabeça: O homem, pois engatinha como bebê, anda sobre dois
pés na idade adulta, e usa um arrimo (bengala) quando é ancião. Furiosa com tal
resposta, a esfinge teria cometido suicídio, atirando-se de um precipício.


Retirado do site: http://pt.wikipedia.org/wiki/Esfinge


http://kratosthegodofwar.tumblr.com/post/38623478550/esfinge-sphinx


http://www.infoescola.com/mitologia/esfinge/

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Imagens legais 47.

Bowser Jr

Centorea Shianus

Dry bowser

Gata Negra

Morrigan Aensland

Rachnera Arachnera

Rosalina

Supergirl

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Related Posts with Thumbnails