Yu-gi-oh!

Yu-gi-oh!
dragão branco de olhos azuis, dragão luminoso de olhos azuis e dragão supremo de olhos azuis.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Chibi 2.

Airdramon
Kimeramon

Atena Cavaleiros de Ouro


kakashi Hatake

Pikachu

SaberLeomon

Squirtle, Bulbasaur e Charmander

Uchiha Madara

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

sábado, 24 de agosto de 2013

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

terça-feira, 20 de agosto de 2013

domingo, 18 de agosto de 2013

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

sábado, 10 de agosto de 2013

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

terça-feira, 6 de agosto de 2013

domingo, 4 de agosto de 2013

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Fernando Pessoa.


Nasceu Fernando António Nogueira Pessoa em Lisboa, no dia 13 de Junho de 1888, filho de Maria Madalena Pinheiro Nogueira e de Joaquim de Seabra Pessoa. Foi um poeta e escritor português, é considerado um dos maiores poetas da língua portuguesa e da literatura universal e faleceu em Lisboa, com 47 anos. A juventude é passada em Lisboa até à morte do pai em 1893 e do irmão Jorge no ano seguinte. Depois em 1896, ainda na infância, vai morar na cidade de Durban (África do Sul), onde seu padrasto tornou-se cônsul lá viveu entre 1896 e 1905. Neste país teve contato com a língua e literatura inglesa.
Voltou para Portugal, com 17 anos, é feito com o intuito de frequentar o curso de Letras, mas fracassou no curso. Viveu primeiro com uma tia e depois com a avó paterna.
Em 1912, começou suas atividades como ensaísta e crítico literário, na revista Águia. Teve uma paixão confessa - Ophélia Queirós - com a qual manteve uma relação muitas das vezes distante, se bem que intensa. Mas foi talvez Ophélia a única a conhecer-lhe o lado menos introspectivo e melancólico.
Durante sua vida, Fernando Pessoa trabalhou em vários lugares como correspondente de língua inglesa e francesa. Como poeta, era conhecido por suas múltiplas personalidades, os heterónimos, que eram e são até hoje objeto da maior parte dos estudos sobre sua vida e sua obra.
Os últimos anos são vividos em angústia. Os seus projectos intelectuais não se realizam plenamente, nem sequer parcialmente. Fernando Pessoa morre dia 30 de Novembro de 1935 aos 47 anos, de uma grave crise hepática induzida por anos de consumo de álcool.

Seus Heterônimos.

Os heterônimos de Fernando Pessoa tinham personalidade própria e características literárias diferenciadas.

Álvaro de Campos.

Nascido em Lisboa, era um engenheiro português de educação inglesa. Influenciado pelo simbolismo e futurismo, apresentava certo niilismo em suas obras e era o mais objetivo dos heterônimos e o menos "culto" dos heterônimos, o que menos conhece a Gramática e a Literatura.

Ricardo Reis.

Nascido no Porto era um médico que escrevia suas obras com simetria, harmonia e seus versos são, geralmente, curtos. O bucolismo estava presente em suas poesias. Era um defensor da monarquia e demonstrava grande interesse pela cultura latina e apoiava-se na mitologia greco-romana. Ele representa a vertente clássica ou neoclássica de Fernando Pessoa.

Alberto Caeiro.

Nascido no Porto é o lado "moderno" de Fernando Pessoa, caracterizado por uma vontade de conquista, por um amor à civilização e ao progresso. Com uma formação educacional simples, este heterônimo fazia poesias de forma simples, direta e concreta.

Suas obras e de seus heterônimos.

 Obras de Fernando Pessoa. 

· Do Livro do Desassossego 
· Ficções do interlúdio: para além do outro oceano
 · Na Floresta do Alheamento
 · O Banqueiro Anarquista
 · O Marinheiro · Por ele mesmo

Poesias de Fernando Pessoa.

 · A barca 
 · Aniversário 
 · Autopsicografia
 · À Emissora Nacional
 · Amei-te e por te amar...
 · Antônio de Oliveira Salazar 
· Elegia na Sombra 
· Isto 
· Liberdade
 · Mar português
 · Mensagem
 · Natal

Prosas de Fernando Pessoa.

 · Pessoa e o Fado: Um Depoimento de 1929 
· Páginas Íntimas e de Auto-Interpretação
 · Páginas de Estética e de Teoria e de Crítica Literárias

Obras do heterônimo Alberto Caeiro. 

· O Guardador de Rebanhos
· O guardador de rebanhos - XX 
· A Espantosa Realidade das Cousas
 · Um Dia de Chuva · Todos os Dias 
· Poemas Completos
 · Quando Eu não tinha
 · Vai Alta no Céu a lua da Primavera 
· O Amor é uma Companhia 
· Eu Nunca Guardei Rebanhos 
· O Meu Olhar
 · Ao Entardecer 
· Esta Tarde a Trovoada Caiu

Obras do heterônimo Álvaro de Campos.

 · Acaso 
· Acordar 
· Adiamento 
· Afinal 
· A Fernando Pessoa 
· A Frescura 
· Ah, Onde Estou 
· Ah, Perante
 · Ah, Um Soneto 
· Ali Não Havia
 · Aniversário 
· Ao Volante 
· Apostila

Obras do heterônimo Ricardo Reis.

· A Abelha 
· A Cada Qual
 · Acima da verdade 
· A flor que és 
· Aguardo
 · Aqui
 · Aqui, dizeis 
· Aqui, neste misérrimo desterro
 · Ao Longe · Aos Deuses
 · Antes de Nós 
· Anjos ou Deuses 
· A palidez do dia

Retirado do site:

http://pensador.uol.com.br/autor/fernando_pessoa/biografia/

http://www.umfernandopessoa.com/biografia.htm

http://silvanosulzarty.blogspot.com.br/2011/05/fernando-pessoa-biografia-heteronimos-e.html

http://www.suapesquisa.com/biografias/fernando_pessoa.htm

Related Posts with Thumbnails