Yu-gi-oh!

Yu-gi-oh!
dragão branco de olhos azuis, dragão luminoso de olhos azuis e dragão supremo de olhos azuis.

domingo, 29 de novembro de 2015

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Resumo da teoria “Origem das espécies” de Darwin.


Charles Darwin (1809-1882) foi um naturalista inglês que ficou conhecido pela elaboração da teoria da seleção natural.
De acordo com esta, a evolução dos seres vivos foi originada de um ancestral comum, herdando pequenas modificações, que, a partir da seleção natural, se perpetuariam ou não. Ou seja, as espécies animais e vegetais são mutáveis. A teoria foi criticada, não somente no campo científico, como também na área ideológica e religiosa em todo o mundo.
Em uma população existe variabilidade entre os indivíduos, ou seja, estes não são iguais entre si. Essa variabilidade faz com que alguns indivíduos tenham características mais propícias a sobreviver num determinado ambiente.

Assim, dentro da população, aqueles que apresentam tais características tendem a sobreviver, e aqueles que não as têm tendem a morrer. Portanto, pode-se dizer que os indivíduos são submetidos a um processo de seleção natural realizado pelo ambiente.
Um exemplo são as girafas, segundo Darwin, as populações de girafas ancestrais apresentavam diversos tamanhos de pescoços. A competição intraespecífica e a seleção natural favoreceram aqueles indivíduos com pescoço mais longo. Estes, por sua vez, obtiveram um maior sucesso reprodutivo, deixando um maior número de descendentes.
Os princípios básicos das ideias de Darwin podem ser resumidos no seguinte modo:

  • Os indivíduos de uma mesma espécie apresentam variações em todos os caracteres, não sendo, portanto, idênticos entre si.
  •  Todo organismo tem grande capacidade de reprodução, produzindo muitos descendentes. Entretanto, apenas alguns dos descendentes chegam à idade adulta.
  •  O número de indivíduos de uma espécie é mantido mais ou menos constante ao longo das gerações.
  • Assim, há grande "luta" pela vida entre os descendentes, pois apesar de nascerem muitos indivíduos poucos atinge a maturidade, o que mantém constante o número de indivíduos na espécie.
  • Na "luta" pela vida, organismos com variações favoráveis ás condições do ambiente onde vivem têm maiores chances de sobreviver, quando comparados aos organismos com variações menos favoráveis.
  • Os organismos com essas variações vantajosas têm maiores chances de deixar descendentes. Como há transmissão de caracteres de pais para filhos, estes apresentam essas variações vantajosas.
  • Assim, ao longo das gerações, a atuação da seleção natural sobre os indivíduos mantém ou melhora o grau de adaptação destes ao meio.
 Retirado do site: http://opiniaoenoticia.com.br/vida/ciencia/teoria-da-evolucao/

http://vestibular.uol.com.br/revisao-de-disciplinas/biologia/evolucao.jhtm

http://www.algosobre.com.br/biologia/teorias-da-evolucao.html

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Thor.


Elenco: Chris Hemsworth, Tom Hiddleston, Natalie Portman, Anthony Hopkins, Idris Elba, Kat Dennings, Ray Stevenson, Stellan Skarsgård, Rene Russo, Clark Gregg, Jaimie Alexander, Josh Dallas.

 Direção: Kenneth Branagh 

Gênero: Aventura 

Duração: 130 min.

 Distribuidora: Paramount Pictures 

Estreia: 29 de Abril de 2011

Sinopse.  

A aventura épica se inicia no planeta Terra nos dias de hoje até o reino de Asgard. O Poderoso Thor é um arrogante guerreiro cujas ações intempestivas despertam uma guerra antiga. Como castigo, Thor é enviado à Terra e forçado a viver entre os mortais. Uma vez aqui, ele aprende o que significa ser um verdadeiro herói, depois que o vilão mais poderoso de seu mundo envia as forças negras de Asgard para invadir o planeta.

Curiosidades.

 » A sequência pós-créditos de 'Thor' não foi dirigida por Kenneth Branagh, e sim por Joss Whedon ('Os Vingadores'). 

» Mark Protosevich ('Eu Sou a Lenda') é responsável pelo roteiro do longa. 

» Branagh é expert em adaptações de obras de William Shakespeare. Já comandou, entre outros, 'Frankenstein de Mary Shelley' e 'Hamlet'.

Trailer.




 Retirado do site: http://www.cinepop.com.br/filmes/thor.htm


terça-feira, 17 de novembro de 2015

domingo, 15 de novembro de 2015

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Formas de governo.


Monarquia. 

A monarquia consiste no regime de governo de uma só pessoa, no caso, o rei. A troca de poder monárquico pode ser feita de forma hereditária ou por indicação. Agregado à monarquia temos o parlamentarismo que consiste em uma assembleia eleita pelo povo, com poder legislativo.
Este sistema de governo foi muito comum em países da Europa durante a Idade Média e Moderna. Neste último caso, os monarcas governavam sem limites de poder. Com Revolução Francesa (1789), este sistema de governo entrou em decadência, sendo substituído pela República, na grande maioria dos países.
Hoje em dia, poucos países utilizam este sistema de governo e, os que ainda o usam , conferem poucos poderes nas mãos do rei. O período monárquico no Brasil ocorreu entre os anos de 1822 e 1889, com os reinados de D. Pedro I e D. Pedro II.


Parlamentarismo.

O Parlamentarismo é um sistema de governo em que o poder legislativo proporciona a sustentação política para o poder executivo. Sendo assim, o poder executivo necessita do poder do parlamento para ser constituído e também para governar.
O sistema parlamentarista pode se apresentar de duas maneiras:
 Na República Parlamentarista, o chefe de estado é um presidente eleito pelo povo e empossado pelo parlamento, por tempo determinado.
 Nas Monarquias parlamentaristas, o chefe de governo é o monarca, que assume de forma hereditária.
O parlamentarismo tem sua origem na Inglaterra Medieval. No final do século XIII, nobres ingleses passaram a exigir maior participação política no governo, comandado por um monarca.
O sistema parlamentarista é um sistema mais flexível que o presidencialista, pois em caso de crise política, por exemplo, o primeiro-ministro pode ser substituído com rapidez e o parlamento pode ser derrubado o que no caso do presidencialismo, o presidente cumpre seu mandato até o fim, mesmo em casos de crises políticas.

No Brasil, a prática parlamentarista chegou a ser estabelecida em dois período históricos distintos: no período imperial e no período republicano.
No Brasil Imperial, a prática parlamentarista entra em vigor no 2º Reinado, no período entre os anos de 1847 e 1889. Esta prática parlamentar chegou ao fim com o advento da República no Brasil, em 1889.
A segunda experiência parlamentarista no Brasil durou pouco mais de um ano, tendo sido implantada também de maneira "artificial", em 1961: a renúncia de Jânio Quadros ao cargo da presidência da República levaria João Goulart, o vice-presidente, ao governo.


República.

A república é o regime em que o governante é eleito pelo povo. Como no caso da monarquia, a república também pode ser associada a uma prática governamental: a república aristocrática, na qual o governo é de responsabilidade de grupos privilegiados; a república presidencialista, em que o presidente é eleito, ficando no cargo por tempo determinado e tendo como característica a divisão do
poder em administrativo, legislativo e executivo; e a república parlamentarista, em que o governante é eleito para o cargo de chefe de Estado, enquanto o parlamento escolhe o chefe de governo.

De 1889 a 1894, o Brasil é dominado pelos setores militares envolvidos diretamente na proclamação da República. Chefe do governo provisório, o marechal Deodoro da Fonseca assume a Presidência em 1891. Desfavorecido pela oposição do Congresso a sua política econômica, Deodoro renuncia em novembro do mesmo ano. Seu vice, Floriano Peixoto, assume o governo e usa o apoio popular para radicalizar a luta contra os monarquistas.

Ditadura Militar.

A Ditadura Militar é uma forma de governo no qual o poder político é efetivamente controlado por militares governaram o país, suprimindo direitos civis e reprimindo os que são contra este regime de governo. Este regime pode ser oficial ou não, ou misto onde os militares exercem forte influência sem ser o dominante.
Na sua grande maioria os regimes militares são constituídos após um golpe de Estado derrubando o governo anterior.
No Brasil o regime militar existiu entre os anos de 1964 a 1985. Caracterizando-se pela falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura perseguição política e repressão aos que eram contrários ao regime militar.


Presidencialismo.

O presidencialismo é um sistema de governo no qual o presidente é o Chefe de Estado e de Governo. Este presidente é o responsável pela escolha dos ministros que o auxiliam no governo. No sistema de presidencialismo, o presidente exerce o poder executivo, enquanto os outros dois poderes, legislativo e judiciário, possuem autonomia. O Brasil é uma República Presidencialista desde 15 de novembro de 1889, quando ocorreu a Proclamação da República.
No Brasil o sistema parlamentarista existiu entre 7 de setembro de 1961 e 24 de janeiro de 1963, durante o governo do presidente João Goulart.


Retirado do site: http://www.coladaweb.com/historia/formas-de-governo-e-formas-de-estado

http://www.alunosonline.com.br/historia/formas-de-governo.html

http://www.sohistoria.com.br/ef2/sistemasgoverno/

http://www.algosobre.com.br/historia/parlamentarismo-no-brasil.html

sábado, 7 de novembro de 2015

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Até anime faz cosplay também 7.

Mickey como Kratos

Patrick como Staryu

Personagens do Pac-man como personagens do Star Wars

Personagens do hora de aventura como personagens do Pokémon.

Personagens do ursinho Puff como os 300 de Esparta

Princesa Jujuba e Marceline como enfermeira Joy e policial Jenny

Flapjack como Luffy

Jack como Altair

terça-feira, 3 de novembro de 2015

domingo, 1 de novembro de 2015

Related Posts with Thumbnails